Produtores conservacionistas recebem troféus na Expodireto Cotrijal

A cerimônia de premiação ocorreu durante o 4º Fórum Estadual Conservação do Solo e Água

0
112
Foto: Emater/RS-Ascar/Regional de Ijuí

Agricultores de cinco municípios gaúchos receberam durante a Expodireto Cotrijal o troféu Agricultor Conservacionista do Solo e Produtor de Água do Estado do RS.

Leia também: Ministra Tereza Cristina participa da abertura da Expodireto Cotrijal

Receberam o troféu, os agricultores Eliseu Weber (Maurício Cardoso), família Colferai (Nova Roma do Sul), Laurindo Beling (Agudo), Joel Junkhen (Santa Cruz do Sul) e Antônio Nemitz (Manoel Viana), representado no evento pelo filho, Caio Nemitz.

Técnicos e entidades vinculadas ao trabalho conservacionista na propriedade dos agricultores também foram agraciados. Em nome da Emater/RS-Ascar de Maurício Cardoso, Nova Roma do Sul e Agudo receberam o troféu Diego Monteiro, José Favretto e Diego Katzer, respectivamente.

O técnico Gilberto Carminatti recebeu o troféu em nome da Souza Cruz, de Santa Cruz do Sul; e a engenheira agrônoma Carla Nemitz foi agraciada com o troféu em decorrência do trabalho conservacionista realizado na propriedade da família Nemitz.

“A seleção destas propriedades atendeu a critérios técnicos, porque não é somente conservar o solo, é ser produtor de água também”, explicou o assistente técnico estadual em Recursos Naturais da Emater/RS-Ascar, Edemar Streck.

“Isto aqui é um exemplo dos bons programas que temos na Emater, que homenageia aquele que aplica tecnologia, aquele que está comprometido com o futuro da agricultura, não somente em termos tecnológicos, mas em termos de sustentabilidade ambiental”, resumiu o presidente da Emater/RS, Iberê de Mesquita Orsi.

O concurso Agricultor Conservacionista do Solo e Produtor de Água do Estado do RS foi lançado pela Emater/RS-Ascar e governo do Estado em dezembro de 2016.

Fórum – Pesquisadores e agricultores apresentaram, durante o Fórum na Expodireto Cotrijal, suas visões sobre os princípios conservacionistas.

Para evitar aquilo que chamou de “agricultura do desperdício”, o professor e pesquisador da UFSM Jean Minella listou quatro princípios – proteção do solo, aumento da matéria orgânica, maximização da infiltração de água no solo e controle do volume e velocidade do escoamento superficial.

“Temos de trabalhar o solo numa perspectiva ampla, não só do ponto de vista químico, mas físico e biológico”, destacou outro palestrante do Fórum, Pedro Escosteguy.

“Nada disso é fácil, mas temos de pensar nas características físicas, químicas e biológicas do sistema para termos altas produtividades”, disse o agricultor de Ajuricaba, Marcos Fridrich.

“Este evento foi muito feliz, tivemos a oportunidade de juntar a academia, produtores, cooperativas, técnicos, pesquisadores, sindicatos, enfim, eu acho que o pessoal está de parabéns, dentro da Expodireto, por ter promovido este tipo de evento”, concluiu o professor da Ufrgs, Pedro Selbach.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here