Rotação de herbicidas é estratégia contra plantas daninhas, diz gerente da Ourofino Agrociência

O problema se deve a um processo de seleção natural

0
215

As espécies de plantas daninhas resistentes à herbicidas nos mais diversos sistemas de produção do país podem gerar prejuízos de até R$ 9 bilhões. De acordo com a Embrapa, neste valor estão inclusos os gastos com manejo e as perdas de produtividade devido à competição imposta por essas plantas.

Leia também: Embrapa demonstra o sensoriamento remoto da soja no Show Rural

O apresentador do RVTV, Daniel Dias, recebeu para uma entrevista na Unidade Móvel de Transmissão no Show Rural Coopavel o engenheiro agrônomo Roberto Toledo, gerente de Produtos Herbicidas da Ourofino Agrociência, para falar sobre o assunto.

“O problema se deve a um processo de seleção natural. As plantas daninhas passam a se multiplicar na área, pois se tornaram resistentes aos herbicidas”, explica Roberto.

Nos últimos anos, a presença das invasoras tem crescido consideravelmente. Na cana-de-açúcar por exemplo, a mudança da colheita manual pela mecanizada e a introdução do sistema de mudas pré-brotadas no plantio, favorecerem a proliferação das espécies.

Já no segmento de grãos, a substituição das variedades convencionais pelas transgênicas, aquelas que foram modificadas geneticamente, estimulou o uso de uma quantidade menor de herbicidas,  promovendo a resistência de várias espécies daninhas.

“Um dos principais desafios é definir e adotar estratégias eficazes para o manejo de plantas daninhas na cultura. Entre eles, está o combate ao problema da infestação e resistência através da rotação dos herbicidas, com mecanismos de ação diferenciados “, detalha o agrônomo.

As diversas práticas culturais também podem ser usadas para aumentar as possibilidades de controle das plantas daninhas, já que este processo demanda diferentes métodos de controle e mecanismos herbicidas. A rotação de culturas proporciona maior oportunidade de usar herbicidas com diferentes mecanismos de ação na área.

Em exposição – Durante o Show Rural Coopavel, a Ourofino Agrociência, destaca soluções para a cultura de soja do Paraná, como os herbicidas Templo®, PonteiroBR, GrandeBR e CoronelBR. Durante a participação, a empresa também promove demonstrações práticas em campo, para comparar tratamentos em pré-emergência, e um tour, por meio de realidade virtual, pela fábrica e Fazenda Experimental da companhia.

Entre os produtos, o Templo® é a grande novidade da Ourofino Agrociência. O herbicida é composto por Glifosato premium com exclusivo sistema tensoativo e tecnologia Duo Sal, que oferece segurança, economia e velocidade no controle de diferentes plantas daninhas e na erradicação da soqueira de cana-de-açúcar. A solução oferece alta performance mesmo com chuva de duas horas após a aplicação, e é indicado para culturas de cana-de-açúcar, soja, milho e algodão.

Saiba mais em www.ourofinoagro.com.br

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here