Foto: Cássio Brezolla

Até o dia 15 de janeiro, os fãs da boa gastronomia têm à disposição uma experiência diferenciada que carrega a carne Angus certificada como o ingrediente principal.

Leia também: Rússia reabre mercado para carne suína e bovina brasileira

O Festival Angus Malbec voltou com força ao restaurante Malbec, em Gramado (RS), após uma temporada de inverno encerrada com sucesso.

A iniciativa da Associação Brasileira de Angus em parceria com o Frigorífico Zimmer leva para a Serra Gaúcha a ação que dá aos clientes do Malbec a oportunidade de saborear um cardápio delicioso com cortes de carne Angus certificada.

Uma estratégia inovadora do festival é o menu servido com cortes dianteiros Angus, opção que comprova que carne de qualidade não se resume aos habituais entrecot e picanha.

Os pratos que servem duas pessoas têm como estrelas do cardápio os cortes flat iron steak, short ribs, costela premium e assado de tira, todos acompanhados dos molhos especiais e geleias Malbec, legumes na brasa e arroz.

A 2ª edição do festival acontece paralelamente ao Natal Luz de Gramado, período em que consumidores de todas as partes do Brasil e do exterior têm a chance de participar de uma proposta única que reúne carne de qualidade, ambiente requintado e uma rica estrutura de entorno.

O responsável pelo menu, chef Carlos Siedekum, diz que o retorno positivo dos clientes confirma o sucesso da ação entre os consumidores dos mais diversos perfis.

“Um criador de Angus do Mato Grosso do Sul ficou surpreso com a qualidade da carne servida. Disse que nunca tinha comido algo parecido em nenhum lugar por onde já viajou”, revela o chef.

Segundo o gerente do Programa Carne Angus Certificada, Fabio Medeiros, o Festival Angus Malbec é uma ação de marketing experimental que, além de propiciar a aproximação com restaurantes, consegue ‘conversar’ direto com o público consumidor mais exigente, que preza por ambientes mais sofisticados e com produtos à altura.

“A estratégia é vincular a marca à boa lembrança e memória do consumidor, fazendo com que se torne uma conexão permanente”, afirma Medeiros.