Entre as principais ações está a criação de alternativas de financiamento para o setor florestal (Foto: CNA)

A Comissão Nacional de Silvicultura e Agrossilvicultura da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) promoveu nesta terça (04) a última reunião do ano com foco na elaboração do plano de trabalho para 2019.

As Federações de Agricultura e Pecuária dos estados participaram do debate por videoconferência.

Entre as principais ações está a criação de alternativas de financiamento para o setor florestal, o fortalecimento do uso da biomassa na geração de energia, a melhoria da imagem do setor, a ampliação do mercado e a elaboração de um diagnóstico da cadeia produtiva de borracha natural.

“Nós temos um compromisso com o setor e por isso apresentamos nosso planejamento às Federações de Agricultura e Pecuária para verificarmos possíveis sugestões de ações em busca de soluções que atendam o interesse do setor produtivo florestal”, afirmou o presidente da Comissão, Walter Resende.

Outro item discutido na reunião foi a realização de um debate sobre o tema bioenergia com a participação de entidades públicas e privadas.

“Esse evento vai debater a relevância da biomassa como fonte de energia e para geração de renda. Será o pontapé para muitas ações que a CNA irá promover para a expansão do setor”, explicou Maciel Silva, assessor técnico da Comissão.

As dificuldades dos produtores com o Sistema Nacional de Controle da Origem dos Produtos Florestais (Sinaflor) também entrou na pauta de discussões.

“A criação do Sinaflor pode dar resultado no futuro, mas no momento está travando todo o sistema nacional com excesso de burocracia. Ou seja, não está atendendo as necessidades do produtor”, ressaltou Walter Resende.

A CNA vai levantar os problemas enfrentados com o sistema em cada estado para levar as demandas ao Ibama, entidade responsável pela gestão do Sinaflor.

Plano Nacional de Florestas Plantadas

Nesta quarta-feira (5) o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) lança o Plano Nacional de Florestas Plantadas, criado pelo Decreto 8.375/2014, que estabelece os princípios e os objetivos da Política Agrícola para Florestas Plantadas em relação às atividades de produção, processamento e comercialização dos produtos, subprodutos, derivados, serviços e insumos.

Para o presidente da Comissão de Silvicultura da CNA, o documento é uma vitória para o setor e servirá como instrumento orientador para as discussões em torno das demandas da cadeia produtiva.

“O plano atende bem o nosso interesse. Se não é perfeito, beira à perfeição. Temos motivos de sobra para comemorar, é uma grande conquista para o setor.”