PLS 750/2011 dispõe sobre a gestão e proteção do bioma Pantanal (Foto: Pixabay)

A Famasul (Federação da Agricultura e Pecuária de Mato Grosso do Sul), instituição que representa os direitos dos produtores rurais do estado, vem a público manifestar preocupação em relação ao texto da PLS 750/2011, que dispõe sobre a gestão e proteção do bioma Pantanal.

Leia tambémSustentabilidade no agronegócio é crucial para sucesso

Tal texto não está de acordo com as tratativas feitas pela instituição, ratificadas em audiências públicas, com o relator da PLS, senador Pedro Chaves.

Da maneira escrita atualmente a legislação poderá prejudicar o desenvolvimento sustentável e a continuidade da atividade da pecuária pantaneira, grande responsável pela preservação do bioma Pantanal.

São quase três séculos de prestação de serviço por parte dos produtores rurais da região, conciliando pesquisa e produção agropecuária com proteção ao meio ambiente, oferecendo turismo ecológico, emprego e renda.

Desse modo, a Famasul demanda ao relator da PLS que reconsidere o texto apresentado à Comissão do Meio Ambiente do Senado Federal e acate as tratativas feitas com a Federação.

Assinam esta nota, em conjunto com a Famasul, as seguintes instituições:

ABPO – Associação Brasileira de Produtores Orgânicos

Sodepan – Sociedade de Defesa do Pantanal

Unipan – União dos Pantaneiros da Nhecolândia

Sobre a Famasul

A Federação da Agricultura e Pecuária de Mato Grosso do Sul é uma das 27 entidades sindicais de grau superior que integra a Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA).

É uma sociedade com personalidade jurídica própria, de direito privado interno, sem fins lucrativos.

Possui sede na cidade de Campo Grande e base territorial no Estado de Mato Grosso do Sul, congregando atualmente 69 sindicatos rurais.

Foi constituída em 29 de outubro de 1977, e fundada efetivamente com a assinatura da Carta Sindical, pelo Ministério do Trabalho, em 22 de fevereiro de 1979.

A Famasul atua com foco no desenvolvimento sustentável do agronegócio, representando os interesses dos produtores e dos sindicatos rurais de Mato Grosso do Sul e fortalecendo as relações institucionais.

O principal desafio estratégico da entidade é buscar o atendimento, de forma equilibrada, dos interesses de seus clientes representados pelos sindicatos rurais e produtores rurais, pessoas que integram a força de trabalho, os principais fornecedores que atuam diretamente em alguns dos seus processos, a sociedade, as demais Federações do país que se unem as forças em questões nacionais estratégicas, a Confederação que coordena todas as diretrizes corporativas e a sociedade em geral.

Para isso, de forma inovadora, a Famasul passou a ter, desde 2007, o seu Planejamento Estratégico com vertente de quatro anos, onde constam projetos, com metas, indicadores e ações que visam agregar valor para todas as partes citadas.